Síndrome de Sjögren é um fator de risco em pessoas com artrite reumatoide

Síndrome de Sjögren é um fator de risco em pessoas com artrite reumatoide

A síndrome de Sjögren (SS) é uma doença de origem autoimune, ou seja, é uma doença na qual o sistema imunológico (responsável pela defesa do organismo) equivocadamente passa a atacar células e tecidos do próprio corpo, principalmente as glândulas lacrimais (que produzem as lágrimas) e glândulas salivares (que produzem saliva) causando sintomas como olhos e boca seca. Mas, a doença também pode atingir outros órgãos e articulações, como rins, pulmões, nervos, pele, fígado e pâncreas.

A síndrome de Sjögren acomete preferencialmente mulheres; a cada 10 pacientes com esta doença, 9 são do sexo feminino. A doença é mais comum em pessoas acima de 40 anos, mas pode ocorrer em qualquer idade.

A Síndrome de Sjögren pode ser classificada em primária e secundária. Primária quando não há outra doença autoimune associada. Secundária quando há outra doença autoimune associada, como por exemplo, AR. Cerca de metade dos pacientes com SS apresenta também outra doença autoimune associada, como artrite reumatoide, lúpus, esclerodermia ou hipotireoidismo. Então, ter AR é fator de risco para desenvolver SS, assim como ter SS também é fator de risco para ter AR.

Dentre os sintomas que os pacientes podem apresentar estão: xeroftalmia (olhos secos), xerostomia (boca seca) que são os mais comuns, porém também podem ocorrer secura na pele, nariz e vagina; fadiga e artralgias (dores articulares).

O diagnóstico da SS pode ser difícil e demorado, pois os sintomas variam de pessoa para pessoa e podem ser confundidos com outras doenças. O reumatologista é o médico mais indicado para conduzir a investigação diagnóstica, pois não existe um único exame que consiga definir com certeza o diagnóstico. Ele será feito através da avaliação de sinais e sintomas e exames laboratoriais.

Não existe cura para a Síndrome de Sjögren, mas o diagnóstico e tratamento precoce podem melhorar os sintomas e prevenir as várias complicações da doença. O tipo de tratamento vai depender dos sintomas e da sua gravidade.